SAÚDE

Hidratação e alimentação no tratamento da Dengue

quinta-feira, 02/05/19 14:24

Febre alta, dores de cabeça, cansaço, dores musculares e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças). Para quem está com alguns destes sintomas, vai o alerta: pode ser mesmo Dengue, e agora?

Como a alimentação pode ajudar?

O objetivo das dicas a seguir é mostrar a melhor alimentação para enfrentar a virose e como manter o organismo bem hidratado, evitando quedas de pressão e a evolução da doença para a sua forma hemorrágica, embora outros fatores possam estar envolvidos nesse processo.
– A dieta deve ser leve e de fácil digestão e absorção, uma vez que os pacientes apresentam mudança em sua flora intestinal, com o crescimento de organismos patogênicos, devido ao estado febril;

– Uma boa alimentação à base de frutas e hortaliças variadas e carnes magras é imprescindível para aumentar a resistência imunológica e manter o organismo nutrido; Não se esqueça também dos alimentos ricos em proteínas como ovos, leite e derivados, pois a imunidade estará comprometida.

– O consumo de alimentos ricos em ferro (carne vermelha magra, por exemplo), além de frutas e sucos ricos em vitamina C (acerola, laranja, limão, etc) são importantes para aumentar a absorção de ferro pelo organismo, caso o doente esteja com um quadro de anemia; O ferro é fundamental porque  pacientes com dengue apresentam queda substancial no número de plaquetas.

– Hidratação é fundamental ! O volume a ser administrado deve ser o maior possível de acordo com sua tolerância. O recomendado é em média de 60 a 80 ml de líquido por quilo de peso dia, nos primeiros 5 dias. A administração deve ser fracionada em pequenos volumes de forma a evitar náuseas e vômitos.

Caso não consiga ingerir o volume adequado, procure um Serviço de Emergência para hidratação venosa.

Boa parte das pessoas apresenta um quadro de náuseas dificultando a alimentação, mas é importante o estímulo na ingestão de pequenas porções de alimentos a cada duas horas.

Um alerta 

Algumas frutas, legumes e castanhas possuem componentes chamados salicilatos que podem potencializar os efeitos causados pelo vírus da doença, como: abricó, ameixa fresca, amêndoa, amora, batata, cereja, groselha, limão, maçã, melão, morango, nectarina, nozes, passas, pepino, pêssego, pimenta, tangerina, tomate e a uva. O alho, a cebola e o gengibre têm ação antitrombótica, ou seja, inibem a formação do trombo, que é o coágulo. Esses alimentos além de potencializar os efeitos da dengue, podem piorar a condição da pessoa promovendo uma coagulação mais tardia. Para quem tem plaquetas baixas, é prejudicial!

Concluindo, se o indivíduo tiver uma hemorragia interna, pode perder sangue por muito tempo sem saber e ter complicações de sua saúde !

Esse artigo tem como objetivo instruir sobre algumas dicas básicas de alimentação, mas sempre recomendamos a consulta com um médico para que ele possa acompanhar o estado de saúde e indicar outros cuidados básicos a serem feitos.

Heloisa Helena

Especialista em Nutrícia Clínica, a área da nutrição que foca na ingestão adequada de alimentos e nutrientes para resistência a doenças. Heloísa também atua na área de nutrição esportiva, voltada para praticantes de atividades físicas.

Top