MOBILIZAÇÃO

MARCADA VOTAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA PARA 19/2

sexta-feira, 15/12/17 18:23

 

Mesmo diante da reprovação por parte do trabalhador brasileiro, o governo federal e o Congresso Nacional seguem articulando para implementar a Reforma da Previdência. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), informou que a previsão é fazer a discussão da proposta no dia 5/2 e a votação no dia 19/2. Por isso, o SINJUS-MG convoca todos a participar da luta contra as mudanças que vão impactar de forma contundente os servidores. Ajude a pressionar os deputados federais mineiros a votarem contra o novo texto da Reforma. Faça sua parte e envie e-mail aos deputados. (Clique aqui para baixar a lista com os endereços).

O anúncio de que a votação ficaria para fevereiro já tinha sido feito nesta quarta-feira (13) pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá. A antecipação do anúncio pelo senador provocou “constrangimento”, nas palavras do deputado Carlos Marun (PMDB-MS), futuro ministro da Secretaria de Governo, pasta responsável pela articulação política. Horas depois da fala de Jucá, o Palácio do Planalto e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegaram a contestar a informação.

“Eu falei aqui há alguns dias: quando marcarmos uma data, teremos os votos. Nós teremos os 308 votos. A base não tem os votos hoje. O que precisamos daqui até fevereiro é trabalhar os votos”, afirmou o presidente da Câmara.

Por se tratar de uma proposta de emenda constitucional (PEC), a reforma da Previdência necessita para ser aprovada dos votos favoráveis de três quintos dos 513 deputados (308) em dois turnos de votação.

Segundo Maia, no dia 19 de fevereiro, o governo já terá conseguido ultrapassar o mínimo de votos necessários. “Eu tenho convicção de que, quando essa votação começar, no dia 19, nós teremos 320, 330 votos”, declarou.

Para o presidente da Câmara, “a questão de votar, neste momento já não é mais uma questão se é melhor votar antes ou depois da eleição. O importante é que esse tema está inviabilizando o Brasil”.

Ele afirmou que as novas regras para a aposentadoria a serem votadas são as que constam da nova versão do relatório do deputado Arthur Maia (PPS-BA), que já é conhecida, mas será lida oficialmente nesta quinta no plenário da Câmara. “99% do que, certamente, vai ser aprovado está no texto que será apresentado hoje pelo deputado Arthur Maia”, disse Rodrigo Maia.

Segundo Maia, se não houver a votação no início do ano, a reforma da Previdência permanecerá como um tema de debate durante a campanha eleitoral do ano que vem.

“Esse é um tema que sairá da pauta quando nós tivermos um sistema mais justo, mais equilibrado. Não adianta alguém imaginar que sem votar a Previdência em fevereiro, março ou abril, nós teremos condições de tirar esse assunto do processo eleitoral. A sociedade vai querer saber a posição de cada um.”

“Eu tenho certeza que, mesmo sendo um ano eleitoral, com esses ajustes feitos e com a possibilidade que o governo possa continuar com uma campanha esclarecendo a sociedade (…), temos um texto que organiza esse desequilíbrio”, disse. “Estou explicando por que, desta vez, em ano eleitoral, dá para votar”, afirmou.

Com informações do Portal G1

Últimas notícias

ver mais
"Planejamento e orçamento público" Abertas inscrições para curso sobre orçamento público terça-feira, 18/09/18 13:52 Interessados podem confirmar participação até 22 de novembro; capacitação pode ser concluída até dia ...
RESPEITA, TRIBUNAL! AMANHÃ É DIA DE ATO PÚBLICO; VÁ DE CAMISA PRETA! terça-feira, 18/09/18 11:50 Nesta quarta-feira, 19/9, às 13h, tem Ato Público Unificado para cobrar do TJMG mais ...
Top