DATA-BASE E AUXÍLIOS

TJ DÁ RESPOSTAS INSUFICIENTES E CONTRADITÓRIAS

terça-feira, 05/02/19 18:52

Depois de mais de 15 dias, o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Nelson Missias, finalmente respondeu aos ofícios encaminhados pelos sindicatos que representam os servidores do Judiciário mineiro, SINJUS-MG, SERJUSMIG e SINDOJUS-MG. Nos documentos, as entidades cobravam do magistrado um posicionamento em relação ao cronograma de quitação dos passivos da Data-Base 2017 e da implementação dos Auxílios-Saúde e Transporte, além de solicitar o agendamento de uma reunião com urgência. 

Data-Base

No Ofício N° 030/GAPRE/2019, o presidente afirma que os retroativos devidos da Data-Base 2017 foram parcialmente pagos no último mês de dezembro, em proporção compatível com as possibilidades financeiras então existentes e que, para assegurar o pagamento dos valores restantes, foi inicialmente estabelecida a estratégia de quitá-los em até 36 parcelas mensais, a partir de janeiro deste ano. O magistrado também diz que vai se empenhar para obter os necessários aportes financeiros com o Tesouro Estadual  para  antecipar a quitação dos retroativos até o final do ano.

Para o SINJUS, a contradição no discurso já começa a partir do momento em que o TJMG não ouviu previamente os sindicatos para discutir uma solução para o pagamento dos retroativos. “Como uma gestão que diz reconhecer os servidores e querer trabalhar “lado a lado” ignora dessa forma seus legítimos representantes? Os Sindicatos deveriam ter sido convidados para construir em conjunto uma alternativa para o impasse”, ressalta o coordenador-geral do SINJUS-MG, Wagner Ferreira.

Uma proposta é, diante da alegada dificuldade de caixa, fixar como prioridade o pagamento do retroativo da Data-Base para que nenhuma outra despesa com pessoal gerada posteriormente seja quitada na frente, como, por exemplo, as indenizações de férias regulamentares ou férias-prêmio. Ou seja, a Data-Base é de 2017, e despesas de 2018 e 2019 não podem ser pagas antes de sua inteira quitação.  Essas propostas são mais condizentes com o discurso do Tribunal de não medir esforços para liquidar todo o passivo o mais breve possível.

Quanto à Data-base 2018, o Sindicato reivindica abertura imediata da negociação a fim de que o PL seja enviado à ALMG. Isso porque não há impedimento legal para o cumprimento da revisão geral anual, expressa em lei. O TJMG possui disponibilidade orçamentária e está abaixo do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Auxílios-Saúde e Transporte

No ofício encaminhado pelo TJ, o presidente informa que a efetiva implementação dos Auxílios-Saúde e Transporte é meta da atual gestão, no entanto, essa despesa tem caráter permanente, e a implementação está condicionada à existência de recursos orçamentários e financeiros sob a gestão do Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais. Por isso, segundo o Tribunal, é preciso acompanhar, nos primeiros meses deste exercício, a efetiva realização das receitas do Fundo Especial do Poder Judiciário (FEPJ) à conta das quais os Auxílios deverão ser pagos. O presidente também afirma que, confirmada a estimativa de receitas prevista na Lei Orçamentária Anual (LOA), os Auxílios serão implementados, de acordo com as disponibilidades financeiras apuradas.

O que deixa a categoria mais indignada é a famosa “crise seletiva”. Invariavelmente, é o atendimento das demandas dos servidores que está sujeito à disponibilidade de recursos orçamentários e financeiros. Quando se trata dos interesses dos magistrados, não existe crise. Um exemplo claro disso é que, em janeiro deste ano, a previsão era de que os desembargadores, que já possuem o Auxílio-Saúde desde 2014, receberiam, de forma automática, o reajuste do benefício. O valor pago saltaria de R$3.047,11 para R$3.546,20. Caso o reajuste tenha se consolidado, o montante equivale a  R$ 499,09 por magistrado – quantia superior à soma dos Auxílios-Saúde e Transporte que cada servidor deveria receber.

A contradição na fundamentação da resposta do TJ é clara. Para reajustar automaticamente o auxílio-saúde dos magistrados não há necessidade de se confirmar a estimativa de receitas previstas na LOA e, muito menos, a efetiva realização de receitas do FEPJ, enquanto para os servidores é sempre necessário aguardar. Não concordamos com esse tratamento diferenciado! Se não houvesse recursos no FEPJ, que não fosse reajustado também o auxílio-saúde dos magistrados, pois, afinal, o dinheiro sai da mesma fonte.

Vale lembrar que o TJ alegou falta de recursos e que só poderia arcar com um ano de retroativo. Assim, para destravar a tramitação do projeto dos Auxílios na ALMG, a categoria abriu mão do retroativo de 2017 para viabilizar a implementação dos benefícios e o pagamento do retroativo de 2018 quanto antes.

Decisão

Todas as informações sobre essas demandas da categoria serão detalhadas ainda mais na AGE desta quarta-feira, 06/02, pelos dirigentes do SINJUS e sua assessoria econômica do Dieese. A participação dos servidores é fundamental para que as lutas de 2019 sejam iniciadas com força e união e para que não haja retrocessos em nossas conquistas.

Por isso, servidor, vamos discutir os próximos passos da nossa luta na primeira AGE do ano. A Assembleia será realizada na quarta-feira, dia 6/2, às 13h30, no Bourbon Belo Horizonte Hotel – Antigo Hotel Quality, que fica bem próximo à sede do TJMG. (Av. Afonso Pena, 3761 – Serra).

Para o deslocamento dos servidores das unidades Dirfor e Goiás, o SINJUS irá disponibilizar um ônibus que sairá às 13h15 e 13h30, respectivamente. Os filiados de outras unidades podem requerer reembolso das despesas de deslocamento mediante apresentação de recibo de táxi ou App.

O servidor que necessitar de intérprete de libras deve entrar em contato com o SINJUS pelo e-mail sinjus@sinjus.org.br ou pelo WhatsApp (31) 98738-8640.

Participe e faça valer a sua voz! É hora de reagir, servidor!

Confira aqui a convocatória.

 

Notícias relacionadas

A HORA É AGORA! INCOERÊNCIA DO TJ FRUSTRA CATEGORIA; DIA 6/2, TEM AGE! sexta-feira, 01/02/19 16:04 “Quero trabalhar lado a lado com os magistrados e com os representantes legítimos dos servidores. Não me esquecerei jamais daqueles que fazem a nossa estrutura funcionar, que são os servidores do Poder Judiciário”. As palavras proferidas em abril de ... leia mais
DATAS-BASE 2018 E 2019 PERDAS DOS SERVIDORES DO TJMG DEVEM CHEGAR A 13,98% quarta-feira, 30/01/19 16:22 Apesar do atraso de nove meses na implantação da Data-Base 2018, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) ainda não atendeu aos pedidos dos sindicatos para iniciar as negociações acerca da correção dos vencimentos dos servidores. Como consequência, ... leia mais

Últimas notícias

ver mais
VERBA GARANTIDA GOVERNO DE MINAS DESMENTE TJMG SOBRE REPASSES sexta-feira, 22/02/19 18:36 Em entrevista exclusiva ao Sindicato dos Servidores da Justiça de 2ª Instância do Estado ...
LITERATURA FILIADA AO SINJUS LANÇA LIVRO DE POESIAS “DESARMADILHA” sexta-feira, 22/02/19 15:20 Um livro para folhear e desfolhar, com páginas para que o leitor também se ...
SEMINÁRIO DEBATE VAI ABORDAR REFORMAS E RENEGOCIAÇÃO DA DÍVIDA sexta-feira, 22/02/19 14:58 A deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT) e o deputado federal Rogério Correia (PT) vão ...

Convênios

ver mais
Voe Legal Passagens Aéreas Estoril . BH (31) 3504-7401 www.voelegal.com.br até 70% ver mais
Iate Tênis Clube BH Clubes São Luiz . Belo Horizonte (31) 3490-8404 /3490-8410 Bruna e Weryk www.iatebh.com.br ISENÇÃO da taxa de adesão ver mais
Supera BH Savassi Cursos Savassi . BH (31) 3141 3636 www.metodosupera.com.br 15% a 30% ver mais
Bancorbrás Viagens e Turismo Viagens e turismo Funcionários . BH (31) 4009 3400 www.bancorbras.com.br 50% na Taxa de Adesão ver mais
Fisiar Fisioterapia Fisioterapia Santa Efigênia . BH (31) 3222 4127 ou 98793 5728 www.fisiar.com.br 20% ver mais
Crossfit BH Academias Lourdes e Mangabeiras (31) 2511-1136 ou 99195-9049 www.crossfitbh.com.br 20% ver mais
Top