REFORMA ADMINISTRATIVA

EM AUDIÊNCIA, WAGNER DO SINJUS DEFENDE IMPARCIALIDADE DO SERVIDOR

sexta-feira, 13/08/21 19:19

Durante audiência pública realizada nesta sexta-feira, dia 13 de agosto, na Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o diretor de Assuntos Jurídicos do SINJUS-MG, Wagner Ferreira, defendeu a estabilidade dos servidores públicos – um dos principais pontos atacados pela Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020, a Reforma Administrativa. Além desse, outros impactos trazidos pela proposta foram discutidos na audiência, que contou com a participação de representantes sindicais de várias categorias, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), do presidente da Casa Legislativa, Agostinho Patrus (PV) e de deputados estaduais, federais e vereadores.

A reunião foi solicitada pela deputada Beatriz Cerqueira (PT), que convidou os integrantes da Comissão Especial da Câmara sobre a PEC 32, e o ministro da Economia, Paulo Guedes. De acordo com a deputada, o ministro recusou o convite sem justificativa. Além da requerente, também conduziu a audiência, o deputado Rogério Correia (PT-MG), coordenador da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público. 

Em sua participação, Wagner Ferreira destacou a importância da resistência contra a PEC 32, mas também contra a privatização dos Correios e contra outros projetos que visam o desmonte do serviço público. Ele ressaltou o trabalho fundamental de servidores do Judiciário que estão na linha de frente, envolvidos em processos de adoção de crianças e cumprindo mandados relevantes para a proteção de todos. “Imagina isso tudo entregue a pessoas estranhas ao serviço público? São atividades importantes que precisam ser exercidas com independência e imparcialidade”, explicou. 

O sindicalista também citou um estudo do DIEESE que exalta a necessidade de protegermos os serviços públicos. De acordo com o levantamento, em 2019, em 38% dos municípios brasileiros, a Administração Pública tinha participação de 50% ou mais no total dos empregos formais. Ou seja, as demandas geradas a partir das remunerações desses servidores são cruciais para a movimentação de recursos, sobretudo em setores como o Comércio e os Serviços. 

Isso significa que reduzir os patamares salariais e mesmo reduzir o contingente de pessoal no serviço público, sem qualquer alternativa de política econômica, pode ser problemático para a sustentação das economias locais, em especial nos municípios com atividade econômica menos diversificada. “Precarizar o serviço público e toda mão de obra desses trabalhadores só traz prejuízos. O arrocho do funcionalismo reflete diretamente em investimentos para as comunidades. É nosso papel tentar levar debate para esses municípios”, apontou.

Desmonte

O presidente da ALMG, Agostinho Patrus, lembrou que os servidores que estão tendo os direitos atacados são os mesmos que têm feito um importante trabalho durante a pandemia, levando a vacina, o atendimento e a Justiça à população. “Os servidores públicos têm grande importância na vida de cada um de nós. Eu espero que eles sejam reconhecidos porque merecem pelo trabalho e pela dedicação e por não terem se furtado hora nenhuma em colocar em risco à própria vida para atender aos que mais precisam. A ALMG se soma a essa iniciativa para que essa seja uma proposta que não retire direitos dos servidores”. 

O deputado federal Rogério Correia destacou que a reunião também era um seminário oficial da Câmara dos Deputados para debater a PEC 32. Os encontros serão realizados em todos os estados. O parlamentar relembrou suas ações e requerimentos para retirar a pauta de discussão. “Temos pouco tempo para mobilizar a população contra essa proposta. Por isso, esse tipo de audiência aqui é tão importante. A Reforma Administrativa, desta forma, vai retirar muitos direitos e desmanchará o serviço público no Brasil”. 

O parlamentar também fez uma apresentação destacando os principais ataques previstos na PEC, entre eles a facilidade de desligamento do servidor e a criação de novos vínculos de contratação.

Ato público

Antes da audiência, as entidades sindicais se reuniram em um ato público na entrada da ALMG contra a PEC 32. As servidoras e os servidores que já tinham sido imunizados compareceram à mobilização, que respeitou todos os protocolos sanitários. 

No início da reunião, a deputada Beatriz Cerqueira parabenizou o movimento e ressaltou a necessidade dos sindicalistas serem ouvidos. “As votações no Congresso Nacional estão acontecendo sem que nós possamos debater previamente; de uma hora para outra. Dormimos com um direito e acordamos sem ele. Essa rapidez é de quem têm medo de conversar com o povo. Nossa tarefa é escutar e levar a informação à população”. 

Greve Geral

Estão marcadas para o dia 18 de agosto, uma greve geral nacional e manifestações dos trabalhadores do setor público nas esferas federal, estaduais, municipais e do Distrito Federal, contra a PEC 32/20. O SINJUS já está se organizando e, em breve, vai repassar à categoria, como se dará a mobilização no Judiciário mineiro. Fique atento às nossas convocatórias.

SINDICATO É PRA LUTAR!

Últimas notícias

ver mais
Grupo de manifestantes da 'Frente de Sindicatos do Funcionalismo contra o RRF' estão em frente à Cidade Administrativa, sede do Governo de MG. Eles estão com faixas de protesto contra o Regime de Recuperação Fiscal. Neste grupo estão dirigentes sindicais do SINJUS- MG, Alexandre Pires (coordenador-geral) e Felipe Rodrigues (diretor de finanças). #NAOAORRF ATO CONTRA RRF REÚNE CENTENAS DE SERVIDORES NA CIDADE ADMINISTRATIVA sexta-feira, 05/08/22 18:03 Entidades que representam servidores públicos de várias categorias se reuniram nesta sexta-feira, 5 de ...
Ilustração digital de uma mulher sentada com um laptop sobre um calendário gigante, ela observa o horizonte por meio de uma luneta, como se estivesse planejando algo para uma data no futuro. Ao lado desta imagem, há uma nota de dinheiro e uma pilha de moedas, sugerindo uma reserva financeira para o plano que a mulher pretende realizar. INFORMAÇÃO TJ PAGA INDENIZAÇÃO DE FÉRIAS NO DIA 12/8; ENTENDA sexta-feira, 05/08/22 16:45 FOTO: NAKI-SAMA/FREEPIK O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador José ...
Diante de um cenário infernal há uma parede em ruínas com a bandeira de Minas Gerais, ela está sendo destruída por uma bola de demolição onde se lê RRF (Regime de Recuperação Fiscal). Do lado esquerdo, há um sinal de proibição, dentro dele há um símbolo de uma lupa sobre um papel com um cifrão, que representa a fiscalização de finanças. #DIGANAOAORRF RRF IMPEDE QUE MINAS CONTESTE VALORES OU FAÇA AUDITORIA DE DÍVIDAS quinta-feira, 04/08/22 17:42 Um dos grandes interesses do governo federal por trás do Regime de Recuperação Fiscal ...
Top Fale conosco