Professores e alunos fazem protesto na porta da Uemg por causa da Lei 100

terça-feira, 01/12/15 11:20

O ato foi contra a demissão de 348 professores a partir de 31 de dezembro. Entidade alega que eles não são concursados


Professores e alunos da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) fizeram na manhã desta segunda-feira uma manifestação na porta da Escola de Design, na Avenida Antonio Carlos, contra a exoneração de 348 funcionários da instituição. Segundo a Assessoria de Imprensa da Uemg, serão desligados os professores que não prestaram concurso público e foram efetivados pela Lei 100/07 – considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em abril do ano passado.

Até então os ministros haviam concedido um prazo de 12 meses para as demissões de todos os cerca de 60 mil servidores que não prestaram concurso público – período que terminou em 1º de abril deste ano. A pedido do governo mineiro, o STF adiou a data limite para 31 de dezembro. De acordo com a Uemg, já há um concurso em andamento para 519 vagas em todo o estado, organizado pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

Na quinta-feira haverá nova reunião entre professores e representantes do sindicato da categoria, quando será discutida uma paralisação geral. Os profissionais ameaçam reter a nota dos alunos e atrasar o fim do semestre letivo, marcado para 11 de dezembro. Eles alegam que vários professores têm mais de 20 anos de serviços prestados na instituição e ainda que 180 dos 348 listados pela reitoria da Uemg para demissão são concursados.

Está previsto novo ato amanhã pela manhã, na porta da Escola Guignard, no Mangabeiras.

 

Fonte: Estado de Minas

Convênios

ver mais
Top