DESAFIOS

2021 PEDE UMA LUTA INTENSA

segunda-feira, 11/01/21 12:55

Data-Base atrasada, carreira congelada, redução de vagas na Promoção Vertical, extinção de cargos efetivos, reformas que retiram direitos… o que não faltam são motivos para fazer a luta dos servidores do Judiciário mineiro ser ainda mais intensa este ano. A pandemia não pode ser um impedimento para a mobilização. Em um cenário desafiador, é preciso encontrar novas estratégias para lutar pelos nossos direitos.

Confira um resumo das principais lutas de 2021:

Data-Base: enquanto o TJMG ignora a Revisão Geral, o poder de compra da categoria segue diminuindo. Os servidores já amargam 13,06% de perdas salariais e, em três meses, a situação pode piorar com o vencimento da Data-Base 2021. Confira aqui.

Carreira: já são seis meses de atraso na publicação do edital da Promoção Vertical 2020. O SINJUS já fez reiteradas cobranças ao TJMG, mas continua sem retorno. A entidade também aguarda o agendamento de reunião com o 2º vice-presidente do Tribunal, desembargador Tiago Pinto, que é superintendente da Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef), para tratar de questões relativas às carreiras dos servidores.

PL 2308/2020: a proposta é um perigo para a categoria, pois prevê a redução de vagas na PV, a extinção de mais de 700 cargos de provimento exclusivo por servidores efetivos e a criação de cargos de livre nomeação, geralmente ocupados por indicação, sem concurso público, para substituir a mão de obra efetiva. O SINJUS está atuando em várias frentes para barrar o projeto.  Confira aqui.

Orçamento: como o TJ impediu a participação dos Sindicatos na elaboração e apresentação da Proposta Orçamentária do Poder Judiciário para 2021, ainda não se sabe se as demandas dos servidores, como Data-Base e a atualização dos Auxílios-Saúde e Transporte, estão garantidas com dotações orçamentárias. O SINJUS aguarda as informações do Tribunal para agir.

Reforma Administrativa estadual: é preciso atenção à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 57/2020. A PEC está engavetada na ALMG e enfrentou resistência de deputados quando chegou à Casa, mas há grande interesse do governo estadual em conseguir acordos para que ela volte à pauta e seja aprovada com celeridade. A proposta prevê a extinção de férias-prêmio, ADEs, quinquênios, trintenários, entre outros direitos dos servidores.

Reforma Administrativa nacional: a PEC 32/2020 acaba com a estabilidade dos novos servidores, extingue promoções automáticas, facilita a ampliação da terceirização, entre outros retrocessos.

PEC Emergencial: a PEC 186/2019 prevê, entre outros pontos prejudiciais, a redução dos salários e das jornadas de trabalho dos servidores, o congelamento dos concursos públicos e impede reajustes.

No caso das lutas nacionais, o SINJUS segue a pauta de ações do Movimento a Serviço do Brasil, do qual faz parte.

SINDICATO É PRA LUTAR!

Últimas notícias

ver mais
Grupo de manifestantes da 'Frente de Sindicatos do Funcionalismo contra o RRF' estão em frente à Cidade Administrativa, sede do Governo de MG. Eles estão com faixas de protesto contra o Regime de Recuperação Fiscal. Neste grupo estão dirigentes sindicais do SINJUS- MG, Alexandre Pires (coordenador-geral) e Felipe Rodrigues (diretor de finanças). #NAOAORRF ATO CONTRA RRF REÚNE CENTENAS DE SERVIDORES NA CIDADE ADMINISTRATIVA sexta-feira, 05/08/22 18:03 Entidades que representam servidores públicos de várias categorias se reuniram nesta sexta-feira, 5 de ...
Ilustração digital de uma mulher sentada com um laptop sobre um calendário gigante, ela observa o horizonte por meio de uma luneta, como se estivesse planejando algo para uma data no futuro. Ao lado desta imagem, há uma nota de dinheiro e uma pilha de moedas, sugerindo uma reserva financeira para o plano que a mulher pretende realizar. INFORMAÇÃO TJ PAGA INDENIZAÇÃO DE FÉRIAS NO DIA 12/8; ENTENDA sexta-feira, 05/08/22 16:45 FOTO: NAKI-SAMA/FREEPIK O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador José ...
Diante de um cenário infernal há uma parede em ruínas com a bandeira de Minas Gerais, ela está sendo destruída por uma bola de demolição onde se lê RRF (Regime de Recuperação Fiscal). Do lado esquerdo, há um sinal de proibição, dentro dele há um símbolo de uma lupa sobre um papel com um cifrão, que representa a fiscalização de finanças. #DIGANAOAORRF RRF IMPEDE QUE MINAS CONTESTE VALORES OU FAÇA AUDITORIA DE DÍVIDAS quinta-feira, 04/08/22 17:42 Um dos grandes interesses do governo federal por trás do Regime de Recuperação Fiscal ...
Top Fale conosco