ARTIGO

UM ANO DE PANDEMIA

segunda-feira, 22/03/21 18:34

Enquanto escrevo meu primeiro artigo para vocês, completamos um ano de muita luta no combate à Covid-19 no Brasil, período em que reflexões, impressões, perdas e aprendizados tornaram-se cada vez mais profundos.

Diante dessa situação totalmente inédita e desafiadora para todos, nós, do SINJUS, decidimos fazer a diferença para nossos filiados nesse momento tão difícil e definimos que o nosso norte seria dar suporte para a proteção da saúde física e mental de todos e acolher e orientar os que tivessem essa necessidade. Por isso, formalizamos convênios importantes na área da saúde e acompanhamos, junto à administração do TJMG o cumprimento de todas as medidas de prevenção, o que demandou a expedição de vários ofícios e a realização de reuniões com gestores para que os problemas pontuais fossem resolvidos, a fim de manter todos em segurança.

Sinto que a maior lição desse período é a noção do quanto somos frágeis e dependentes uns dos outros e de quanto ainda precisamos evoluir como sociedade. Nunca tive tanta vontade de que meu sonho de viver numa sociedade mais justa e fraterna se realizasse. E um bom exemplo disso é que agora não podemos optar por não acatar as medidas de prevenção, pois isso não é sobre cada um de nós, mas sobre colocar em risco todos à nossa volta. É algo que deveria ser tão simples, mas infelizmente não é.

A luta contra o coronavírus tornou-se mais árdua, uma vez que o próprio presidente da república não dá exemplo de cidadania e compaixão e, principalmente, não cumpre minimamente o papel para o qual foi eleito, muito pelo contrário: Bolsonaro ainda atrapalha o combate à pandemia, negando a ciência e boicotando as medidas mais eficazes de prevenção, que são o uso de máscara, o distanciamento social e a vacinação.

Muitos movimentos sociais, entidades religiosas e cidadãos têm tentado contribuir para minimizar o sofrimento do nosso povo, o que alegra nossos corações, mas precisamos de políticas públicas efetivas e que os poderes estejam alinhados para esse enfrentamento. Fica evidente que, somente quando estivermos realmente juntos nesse propósito de combater as desigualdades sociais, construiremos uma sociedade melhor para todos nós.

Apesar da dificuldade, não deixo de acreditar que, cada vez mais, estaremos nos conscientizando da importância que é termos pessoas comprometidas com esse combate que se estabelece nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Vamos com fé e força para a luta nessa construção!

Desejo que, no próximo artigo, estejamos mais próximos da imunização de todos, possibilitando a celebração dessa vitória, com muita saúde e abraços fraternos.

Top Fale conosco